quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

ROBINSON ASSUME CANDIDATURA AO GOVERNO EM 2014


Robinson Faria
Vice Governador Robson Faria

“Em 2010 tentei ser candidato ao Governo do Estado. Nessa eleição municipal percorri quase todos os municípios. E meu nome começou a ser lembrado como candidato a governador. Isso não partiu da minha vontade. Meu nome foi lembrado por lideranças, estou sendo incentivado por pessoas. Surgiu do imaginário popular. Rodei 130 cidades na eleição e tive acesso a pesquisas e me saí muito bem em todas elas. Isso me motivou. Claro que ainda tem grande caminhada pela frente, mas não vou esconder, que vou tentar viabilizar. Tenho um sonho de me tornar efetivamente um candidato a governador, unindo os partidos de oposição ao governo do DEM”, disse Robson Faria em entrevista a TV Tribuna.
O vice-governador Robinson Faria, presidente estadual do PSD, assumiu que pretende ser candidato a governador em 2014. Ele negou que o bloco de aliados da campanha de 2012 em Natal, que culminou com a eleição de Carlos Eduardo (PDT), esteja enfrentando uma disputa interna já que a vice-prefeita Wilma de Faria também poderia disputar o Executivo. "Ela já disse que será candidata a um cargo no Legislativo, portanto, não há disputa interna", informou o vice-governador.

Com a sinalização do ministro da Previdência Garibaldi Filho, de que o PMDB poderá romper com o Governo Rosalba Ciarlini, Robinson Faria demonstrou intenção de se unir aos peemedebistas para 2014. Confira a entrevista que ele concedeu à TV TRIBUNA:

A Assembleia aprovou o projeto do orçamento, colocando a verba de remanejamento em 5%. Isso pode comprometer as ações do governo Rosalba?

Quando fui presidente da Assembleia, embora seja aliado da então governadora Wilma de Faria, refletindo o sentimento da Casa, nós aprovamos o índice de 5% para verba de remanejamento. Isso é uma forma de valorizar o Parlamento. Não é nenhum castigo ou querer emparedar o governante. É uma forma de devolver as prerrogativas ao Parlamento estadual.  Isso acontece porque os deputados, após dois anos, deram essa chance ao Governo, mas agora querem de volta as suas prerrogativas, ou seja, a valorização da Assembleia.

A criação do bloco partidário do PSD na Assembleia é uma forma de tentar brecar os projetos do Governo?

Só posso opinar pelo bloco criado pelo PSD que foi complementado com o talento do deputado Agnelo Alves. O líder escolhido é o deputado José Dias, parlamentar preparado, que tem sua consciência cidadã. Não será um líder de agir apenas por ser oposição, quando for projeto de interesse social, claro que ele vai colaborar.

O ministro da Previdência, Garibaldi Filho, fez duras críticas ao governo Rosalba. O senhor concorda com ele?

Parece que na essência da governadora, o seu jeito de governar, o seu ser político, causa estranheza a forma como ela age. Não vejo na parte administrativa nada de novo acontecendo, a não ser decepções. O Governo está sem norte. Está totalmente perdido. O Estado está muito mal administrado. O Rio Grande do Norte virou ilha de incompetência, cercado de governos competentes no seu entorno (nos Estados vizinhos). Garibaldi com sua experiência de ex-governador, com projetos arrojados, vê também a forma como ela trata seus correligionários, onde predomina como essência política a ingratidão, deslealdade e traição. No campo administrativo, quem sonhou, quem criou expectativa está decepcionado. A atual governadora, brincou com a esperança do povo. 


Está nos seus planos a disputa pelo Governo daqui a dois anos?

Respondo com toda franqueza a você.  Em 2010 tentei ser candidato ao Governo do Estado. Nesse eleição municipal percorri quase todos os municípios. E meu nome começou a ser lembrado como candidato a governador. Isso não partiu da minha vontade. Meu nome foi lembrado por lideranças, estou sendo incentivado por pessoas. Surgiu do imaginário popular. Rodei 130 cidades na eleição e tive acesso a pesquisas e me saí muito bem em todas elas. Isso me motivou. Claro que ainda tem grande caminhada pela frente, mas não vou esconder, que vou tentar viabilizar. Tenho um sonho de me tornar efetivamente um candidato a governador, unindo os partidos de oposição ao governo do DEM. 
 Fonte: Tribuna do Norte

Nenhum comentário:

Postar um comentário