quarta-feira, 31 de julho de 2013

RIO GRANDE DO NORTE OCUPA O 1º LUGAR NO RANKING DO IDHM NO NORDESTE

O Rio Grande do Norte está em 16º lugar na listagem dos estados que apresentaram os melhores índices de desenvolvimento humano nos municípios brasileiros e em primeiro lugar no ranking nordestino. O resultado foi anunciado na segunda-feira (29), através do "Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013". Duas cidades potiguares possuem os melhores resultados da região Nordeste: Parnamirim (0,766) e Natal (0,763).

Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) foi criado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), órgão delegado da Organização das Nações Unidas (ONU). O IDHM é medido a partir da análise na distribuição de renda, além de investimentos na educação e saúde. Os municípios são classificados em alto, médio e baixo desenvolvimento.


As cidades nordestinas que indicaram alto IDHM são Fernando de Noronha (PE), Recife (PE), Aracaju (SE), São Luís (MA), Parnamirim (RN), João Pessoa (PB), Natal (RN), Salvador (BA), Lauro de Freitas (BA), Fortaleza (CE) e Teresina (PI).

Além desses municípios, Mossoró (0,720) e Caicó (0,710) também apontaram o IDHM de alto desenvolvimento e, consequentemente, os melhores resultados no Estado. Os motivos para o bom desempenho do Rio Grande do Norte são a melhoria na distribuição de renda, redução da mortalidade infantil e investimentos na educação.

Noventa e três (93) municípios do RN foram classificados como médio desenvolvimento, que corresponde a 55,69% do estado. Entretanto, 60 cidades ainda indicam baixo desempenho. De acordo com o IDHM, as regiões Norte e Nordeste possuem o maior crescimento, mas as regiões Sul e Sudeste tiveram os melhores índices.

Os dados foram analisados a partir da análise do Censo 2010, desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A análise do desenvolvimento humano começou em 1991 e em 22 anos mostrou que o Brasil avançou 47,8% no IDHM, diminuindo a desigualdade social. 

Ao analisar a colocação do Rio Grande do Norte nos dados divulgados pelo "Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013", a secretaria de Estadual de Educação, Betânia Ramalho, disse que "houve um crescimento expressivo, influenciado também pelo crescimento do atendimento, na oferta de vagas, mas ainda esperamos mais”.

Segundo a secretária, “em todo o Brasil, além do Ensino Médio, os gargalos são a evasão escolar e a Educação de Jovens e Adultos. Por isso, temos trabalhado para tornar a escola mais interessante, fazendo com que esse grande número de alunos que estão ingressando na rede pública permaneça na escola, concluindo o Ensino Fundamental e o Médio”.

Para Betânia, o Brasil também precisa repensar a sua política de EJA, e “o Rio Grande do Norte já está focado nessa reestruturação, até pelo fato de estarmos vivenciando o Ano Paulo Freire da Educação no Estado. Muitos dos nossos adultos não concluíram a Educação Básica na idade certa e acessaram o mercado de trabalho de forma precária. Daí a nossa preocupação com em reverter esse quadro para conseguirmos índices ainda melhores. Já o Ensino Médio está passando por uma reestruturação no currículo, integrando conteúdos por área de conhecimento, o que deve favorecer o processo de Ensino e Aprendizagem dos alunos, que já não se interessam pelas antigas práticas de apresentação dos conteúdos."
Por Assecom/RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário