domingo, 8 de setembro de 2013

MÉDICOS ESTRANGEIROS FAZEM PRIMEIRO CONTATO COM ESTRUTURA DE SAÚDE PARA ÍNDIOS BRASILEIROS

Profissionais do programa Mais Médicos vindos da cooperação com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) visitaram, na manhã desta sexta-feira (6), a Casa de Apoio à Saúde do Índio (Casai) do Paranoá, cidade-satélite do Distrito Federal. Ao todo, 38 médicos cubanos, um colombiano e um brasileiro formado na Venezuela conheceram o local que é referência no tratamento aos indígenas de várias partes do país.

O evento faz parte do processo de avaliação e preparação dos profissionais do Mais Médicos. O objetivo da visita foi de proporcionar uma primeira experiência com a estrutura e os próprios índios com os quais eles vão trabalhar, a partir do dia 16. Na Casai, os estrangeiros receberam palestras sobre a atenção primária específica para povos indígenas, passaram pelos dormitórios, centros de enfermagem e até apreciaram o artesanato e a culinária nativa durante o almoço.

Carlos Enrique Diaz é um dos médicos que chegou recentemente de Cuba ao Brasil. Ele já trabalhou por quatro anos com comunidades indígenas na Guatemala. Prevê que vai encontrar uma situação parecida por aqui, e, embora já esteja acostumado, acredita que vai vivenciar uma experiência única propiciada pelo programa Mais Médicos.


“Tenho certeza de que vai ser algo que vou contar para os meus netos, sobre a viagem que fiz para ajudar os índios no Brasil. Estou aqui para ajudar e atender a população das comunidades, tanto indígenas como de periferia. Vou trabalhar onde o povo brasileiro precisar”, contou Diaz, que deve trabalhar com as tribos em Roraima.

Mais Médicos
Os profissionais da Opas contribuíram para que fosse cumprida toda a demanda de distritos indígenas feita ao programa Mais Médicos, segundo o Ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Maranhão, Amazonas, Acre, Pará, Tocantins e Roraima são os estados onde as comunidades serão diretamente atendidas. Os 40 médicos desta primeira etapa começam a atender a partir do dia 16 deste mês.

Durante sessão da comissão geral na Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira (4), Padilha também lembrou que, além de ajudar os índios, os estrangeiros também serão fundamentais para trabalhar nos 701 municípios onde ainda não há médicos residentes. Estes locais concentram uma população estimada de 12 milhões de brasileiros.

Fonte: Site da presidência da República

Nenhum comentário:

Postar um comentário