quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

MÉDICA DETIDA APÓS SE RECUSAR A ATENDER CRIANÇA

Médica Socorro Pereira nega acusações (Foto: Leandro Guedes/TV Amazonas)
Médica, Socorro Pereira, ao chegar na delegacia

A Secretaria de Estado da Saúde (Susam) informou que vai instaurar sindicância para apurar a denúncia de que uma médica teria se recusado a atender uma menina de um ano e três meses no Pronto-Socorro da Criança da Zona Oeste de Manaus, na noite desta terça-feira (10). A pediatra também teria expulsado a mãe da paciente do consultório. Segundo a Susam, a médica Socorro Pereira foi afastada do atendimento até a conclusão do inquérito.

O caso ocorreu noite de terça. De acordo com a Polícia Militar (PM), a médica foi detida porque se recusou a se identificar para os policiais. Ainda segundo a PM, ela chegou a morder uma policial na delegacia. A mãe da criança contou ao que a confusão começou quando ela exigiu atendimento na unidade para a menina, que estava com vômito e diarréia. No momento do incidente, 12 médicos estavam de plantão na unidade.

A pediatra foi levada para o 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP) sob as acusações de prevaricação (quando um servidor público se nega a realizar o atendimento ao qual ele é designado), desobediência e resistência à detenção, segundo informou o soldado Charleston, da 8ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom).


Sindicância
A Susam informou que "mediante o resultado dos trabalhos da comissão, serão adotadas as medidas administrativas cabíveis, mas enquanto durar a apuração a referida médica está afastada do atendimento".
A Secretaria comunicou ainda que, "independente da apuração da conduta da médica, a direção do Pronto-Socorro da Criança da Zona Oeste reforçou junto a sua equipe esses preceitos, que devem ser seguidos rigorosamente por todos os servidores da saúde".

Nenhum comentário:

Postar um comentário