quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

POLÍTICO, PRECISAMOS DE VOCÊ



Mundos e fundos são prometidos durante uma campanha política. Desde a cômica e famigerada criação de uma ponte ligando a capital ao arquipélago de Fernando de Noronha à uma escola de primeira linha, projetos mirabolantes para a segurança e uma saúde que faria inveja à qualquer país desenvolvido do hemisfério norte, além de outras promessas perdidas ao longo do tempo.
Mas, basta acabar a enganação eleitoral que esta figura some do contexto. Tranca-se em seu majestoso gabinete e fica a pensar já na próxima corrida ao ouro, isto é, na eleição que está por vir. Tem sido assim desde que me entendo por gente. No nosso estado tenho visto pessoas se locupletando com as benesses dos cargos eleitorais com seus salários astronômicos aumentados rigorosamente em toda a legislatura enquanto que o trabalhador comum ou os demais servidores públicos, de uma forma geral como professores, policiais e agentes de saúde vivem com salários baixos e estrutura deficitária para trabalhar.

Político deixe sua suntuosa sala de despachos e venha fazer um mandato realmente popular que possa trazer prestação de contas de suas atividades. É, você mesmo que só começa a trabalhar na terça feira, saindo na quinta para planejar a próxima campanha com as bases. Você que andava a pé em idos pretéritos e agora chega para trabalhar em “pajero full, “Discovery”, potentes “pick-ups” ou carros de luxo importados. Você que vive da política, mas não para a política e sim para a sua locupletação própria e de seus assessores.

E você, político, que está chegando agora, com a maior boa vontade que podemos ver. Não prometa o que não pode cumprir. Não caia nos erros de algumas aves de rapina que existem por ai que se fartam de riquezas com as benesses dadas pelo cargo que exercem. Faça exatamente o que você disse em campanha. Venha ao povo com o seu mandato e preste contas da sua gestão.

Vimos nossa cidade ser jogada ao desprezo e abandono mórbido. Lixo pelos canteiros e casas em virtude das constantes interrupções de coletas e à falta de consciência de algumas pessoas. Estradas, ruas e avenidas esburacadas, mal iluminadas com a bandidagem tomando conta. As drogas proliferando em cada bairro. A saúde se deteriorando a cada dia com o fechamento de importantes centros de atendimento e postos fundamentais à população; o clamor dos profissionais da saúde, principalmente médicos e seus constantes desligamento da rede pública. Escolas fechadas sem o término do ano letivo; profissionais sem receber seu salário do mês mais tantos outros crimes cometidos contra a administração pública. E a perguntas afloram: nada se faz? Fica tudo como está e novamente elegemos pessoas que não tem compromisso com o social?

Político, vocês que é a esperança de todos porque está ai para nos representar. Faça seu papel. Não permita que nossa cidade volte ao abandono, muito menos o Estado, tão bonito, cheio de riquezas, principalmente das pessoas que o habitam. Você, apesar de altos salários, 13º, 14º, auxilio paletó, verbas indenizatórias incontáveis, emendas parlamentares que levam recursos aonde você deseja, verba de gabinete, auxílio isso, auxílio aquilo, é a única esperança que temos de ver uma cidade e um Estado desenvolvido, igualitário e mais justo para todos.

Não nos decepcione, político, como tem feito há décadas, legislando em causa própria ou para o forte lobby de empresas e empresários que retiram da boca do mais necessitado para enriquecimento próprio. Já estamos desencantados com a sua atuação. Mude, aproveite sua legislatura, faça um bom trabalho. O povo vai lhe ser eternamente grato.

Por fim, político, venho lhe conclamar a ostentar menos e trabalhar muito mais. Cumpra a carga horária de um funcionário público. Use os serviços oferecidos na saúde pública, coloquem seus filhos para estudar nas escolas municipais e estaduais. Ande de ônibus pelo menos algumas vezes. Passe pelas ruas que fez campanha durante o seu mandato e verás, como com estas simples ações, tudo vai mudar e vai ganhar em qualidade.

Qual o quê? Estou pedindo demais? É pena político, porque sei que você vai continuar se elegendo sob a égide da boa fé alguns ou daqueles que vendem seus votos ou o trocam por migalhas. Mas, sei que de minha parte e uma grande outra parcela da população, você não vai ver um voto sequer para continuar a fazer o que vem fazendo: um “trabalho” sem qualidade e em benefício próprio ou somente de uns poucos privilegiados.
Fonte: Dica Segura

Nenhum comentário:

Postar um comentário