sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

RN PERDERÁ QUATRO USINAS EÓLICAS E PREJUÍZO SERÁ R$ 360 MILHÕES


Parques eólicos do RN estão subutilizados (Arquivo)

O atraso na construção de linhas de transmissão de energia impedirá que parques eólicos comecem a operar neste ano – como já ocorreu em 2012 – e causará um prejuízo de cerca de R$ 600 milhões ao consumidor. O Rio Grande do Norte também sairá perdendo.

É que a empresa Bioenergy desembolsará R$ 110 milhões para construir um sistema próprio de transmissão no Maranhão, que atenderá 13 de suas eólicas.
Dessas 13 usinas, quatro deveriam ser instaladas no Rio Grande do Norte. Como a empresa enfrenta problemas de conexão no Estado, ela transferiu os parques para o Maranhão. Cada um deles está orçado em cerca de R$ 90 milhões. O prejuízo para o Estado, portanto, será de R$ 360 milhões.

A Bioenergy também vem tendo dificuldades com duas usinas que já estão em operação no Estado potiguar. O serviço das linhas de transmissão deles foi interrompido 36 vezes durante o ano passado.

As linhas que deveriam conectar essas eólicas já existem, porém precisam ser reforçadas para suportarem o volume de energia.O prejuízo pelas 68 horas e 14 minutos de indisponibilidade dos parques é calculado, pela companhia, em R$ 227,6 mil.

A CPFL Renováveis é outra empresa que está com problemas no Rio Grande do Norte. Sete usinas da companhia estão aptas a entrar em operação desde julho de 2012, mas permanecem sem injetar energia no sistema. 
Fonte: O Mossoroense, com informações: Maria Cristina Frias

Nenhum comentário:

Postar um comentário